Livros

Home E Gênero: Macunaíma

O selo das Edições Macunaíma, criado em 1957 por Calasans Neto, Fernando da Rocha Peres, Glauber Rocha e Paulo Gil Soares, pretendia, a princípio, veicular obras de jovens escritores da Bahia que, pela carência do meio editorial, não tinham como veicular sua produção.

Com o passar dos anos firmou-se no território cultural baiano onde sempre se destacou pelas concepções gráficas e pela fidelidade a suas propostas: publicações em tiragens limitadas, com feitio semi-artesanal, em edições bem cuidadas, mas não necessariamente luxuosas.

Na tentativa de viabilizar o empreendimento, já que não havia recursos disponíveis, o grupo, apadrinhado pelos poetas Carvalho Filho e Godofredo Filho, intelectuais influentes, aproximou-se de Zitelmann de Oliva e Hélio Vieira de Santana, proprietários de uma pequena gráfica, situada na Rua 13 de Maio, antiga Rua das Verônicas, no Centro Histórico, nas proximidades do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural, do qual Godofredo Filho era diretor.

Desse modo surgiu a parceria entre Macunaíma e Artes Gráficas que, facilitando preço e prazo, permitiu a edição de vários livros da jovem literatura baiana.

 

Com a mudança de Glauber e de Paulo Gil para o Rio de Janeiro, a Macunaíma entrou em período de hibernação, publicando muito raramente e mantendo-se em atividade graças aos álbuns de gravura de Calasans Neto.

Em 1974, o poeta Humberto Fialho Guedes, na tentativa de revitalizar a editora, propôs uma nova parceria na qual foram admitidos como sócios, além do próprio Humberto, os poetas Florisvaldo Mattos e Myriam Fraga.

A morte prematura de Humberto Fialho Guedes, que pretendia transformar a Macunaíma numa editora comercial, arrefeceu os ânimos dos outros sócios que, a partir daquela data, resolveram assumir seu papel como editores bissextos.

Embora de maneira desordenada e esporádica, a Macunaíma publicou alguns dos mais importantes escritores da Bahia em edições que marcaram presença principalmente graças ao talento de Calasans Neto, seu ilustrador oficial.

Cinco Sonetos
O Deserto e a Loucura – Carvalho Filho
Six poems by Myriam Fraga. [Seis poemas de Myriam Fraga]
Marinhas
Edições Macunaíma – Vinícius de Moraes
A Ostra
Edições Macunaíma – Livro de Luciano
O deserto e a loucura
Flor do sertão: breve notícia do amor infeliz da moça Leonídia pelo poeta Castro Alves
Sete Poemas
Edicções Macunaíma Alberto Luiz Baraúna
A traiçoeira invenção da noite
Inquisitorial
Die stadt. [A cidade]
Sesmaria
Pecador Contrito aos Pés de Cristo Crucificado
Canções de água doce
Edições Macunaíma – Vinicius de Moares
Edições Macunaíma Casarões
Casarões
Lamento da perdição de Enone
Edições Macunaíma – 01.
A Ilha
A Cidade
Edições Macunaíma Enone
Livro dos Adynata
A lenda do pássaro que roubou o fogo
Glaubelena
Edições Macunaíma – Percegonho Céu Azul do Sol Poente – Guido Guerra
Quarenta quase sonetos e uma sextantina hexagonal para viola d’amore
Edições Macunaíma – 02.
Edições Macunaíma – 03.
Os Deuses lares
Livro de Luciano, Odorico Tavares
Sesmaria – 2 Ed
O sobrevivente
Diluviano
Mel da noite

Livros das Edições Macunaíma ilustrados por Calasans Neto

 

  • 1957   Samba de roda, Frederico José de Souza Castro
  • 1958   Mel da noite, Carvalho Filho
               Pecador contrito aos pés de Cristo crucificado, Gregório de Mattos
               Pedro Pedra o nervo na pedra, Glauber Rocha
               Prece calada, Carvalho Filho
  • 1959   Hera da morte, Carvalho Filho
               Sonetos, Gregório de Mattos
               A ostra, Péricles Dinis
               Glaubelena, Paulo Gil Soares
               Lamento da perdição de Enone, Godofredo Filho
  • 1960   Noturno, Carvalho Filho
  • 1961   Sonetos ingleses de José Albano, tradução de Jair Gramacho
  • 1962   ABC da arte e do amor de Calasans gravador, Glauber Rocha
               A traiçoeira invenção da noite, David Salles
  • 1964   Marinhas, Myriam Fraga
                Do herói inútil, Sonia Coutinho
                Diluviano, Fernando da Rocha Peres
                Rurais, Fernando da Rocha Peres
  •  1965    Reverdor, Florisvaldo Mattos
                Sonetos, Fernando da Rocha Peres
  • 1966   O sobrevivente, Carlos Eduardo da Rocha
               Cinco poetas, Godofredo Filho, Carvalho Filho, Florisvaldo
    Mattos, Fernando da Rocha Peres, Myriam Fraga
               Inquisitorial, José Carlos Capinan
  • 1968   O defunto, Pedro Nava
  • 1973   Livro dos Adynata, Myriam Fraga

 

  • 1974   Poemas bissextos, Fernando da Rocha Peres
               História Natural de Pablo Neruda ou Elegia que vem de longe, Vinicius de Moraes
  • 1975   A casa, Vinicius de Moraes (ilustrações de Carlos Bastos, projeto gráfico de Calasans Neto)
              Livro de Luciano, Odorico Tavares
             Quarenta quase sonetos e uma sextantina hexagonal para viola d’amore, Alberto Luís     Baraúna
             O deserto e a loucura, Carvalho Filho
  •  1976   A ilha, Myriam Fraga
               Ciclo de navegação Bahia e gente, José Carlos Capinan
               Fábula civil, Florisvaldo Mattos
  • 1979   A cidade, Myriam Fraga
  • 1980   Altaonda, Olga Savary
  • 1983   Gregório de Mattos e Guerra: uma revisão biográfica, Fernando da Rocha Peres
  • 1984   A lenda do pássaro que roubou o fogo, Carlos Pita e Myriam Fraga
              Dois poemas para Glauber Rocha, Florisvaldo Matos e Fernando da Rocha Peres
  • 1985   Las águas del tiempo, Betty Morton
                Livro de Celina, Humberto Fialho Guedes
                Olho de gato, Claudius Portugal
                Six poems, Myriam Fraga
  • 1986   Elegia para Manuel Bandeira, Eurico Alves Boaventura
                Os eternos tormentos, Maria da Conceição Paranhos
                Flor do sertão, Myriam Fraga
  • 1987   25 sonetos da Bahia Antiga, Silva Dutra
  • 1989   Canções de água doce, Expedito Almeida
  • 1992   Deuses lares, Myriam Fraga
  • 2000   Sesmaria, Myriam Fraga
  • 2002   Natal das crianças negras, Cyro de Mattos